Planeta Cativante

Conheça a Londres dos londrinos e evite roubadas

Uma das coisas mais legais de viajar é a possibilidade de visitar lugares tentando deixar de lado a perspectiva turística para se sentir como um morador local; e acho que todo viajante que busca conhecer genuinamente determinados locais deveria ao menos tentar fazer isso. São ações simples: trocar o Mc’Donalds por uma pequena lanchonete ou restaurante, andar a pé, assistir um show grátis no parque e por ai vai.

Londres é uma cidade naturalmente encantadora e extremamente turística. Por isso, é muito fácil deixar-se levar pelas milhares de atrações, lojas e restaurantes que num primeiro momento parecerem ser imperdíveis, mas que após uma avaliação mais sensata não valem o investimento – de dinheiro, tempo e energia.

E apesar de estarmos falando de uma região com mais de 8 milhões de habitantes (mais um bocado de turistas), dá sim para fugir da enxurrada de programações turísticas, comércio made in china e redes de fast food e conhecer a Londres dos londrinos. A seguir, trazemos algumas dicas legais para você fugir do tumulto turístico e aproveitar o melhor da cidade.

 

#Londres para Passear

 

  • Atenção aos horários. Há museus e parques de sobra pela cidade. São tantos que provavelmente você irá visitar varios e ainda assim haverá outros inéditos para você conhecer numa próxima vez. E ambos são frequentados por turistas e moradores locais. O segredo está nos horários de visitas: durante a semana, no ínicio da manhã ou finzinho da tarde, geralmente eles estão mais vazios e são mais frequentados pelos habitantes.
hyde park
Muito espaço e tranquilidade para os londrinos no Hyde Park. Imagem: reprodução | Blake More Hyde Park

 

  • Evite a Leicester Square. A região da Leicester Square, na qual estão a maioria dos teatros, cinemas, a super loja da M&M’s é hiper movimentada 24h por dia, sete dias por semana. Os londrinos sabem disso e evitam de todo jeito passar por lá. Por conta do alto nível turístico, o local é recheado de atrações medianas e caras, complementada por restaurantes e bares de qualidade duvidosa. Por isso, a não ser que você queira ver a premiere de algum filme hollywoodiano, apenas passeie pela região e gaste sua energia em outro local.
Leicestes Sq
Leicester Square, onde as premieres de filmes acontecem. E só. Imagem: reprodução | Mapa de Londres

 

#Londres para Comer

 

  • Comer perto do Tâmisa geralmente é mais caro. Os restaurantes e pubs a beira do Tâmisa, principalmente na porção mais central do rio, costumam ter precinhos mais salgados – talvez pela vista(?). Vale o investimento caso você quiser ter a experiência de comer admirando a bela paisagem; além disso, a maioria deles possui um menu ok.
  • De olho no take-away. A oferta de fast food é enorme e variada: além das redes de hamburguer que já conhecemos, há opções de comida oriental (como o Wasabi), de comida saudável (como o EAT e o Pret a Manger) e outros mais. A verdade é que os londrinos frequentam bastante esses locais no dia-a-dia (com maior preferência pela comida saudável), principalmente pelo ritmo frenético de trabalho. Porém, com uma ressalva: eles pedem a comida “pra viagem” (take-away) já que comer no local pode ser uma experiência pouco agradável. Além de não possuir mesas e cadeiras para todos os clientes a maiorias dos restaurantes cobram uma taxa extra, já embutida em cada produto, para quem consumir dentro do estabelecimento. Então entre no clima londrino, compre seu lanche e faça um piquenique no parque, principalmente nos dias de sol.
pret a manger
Prateleira do Pret a Manger: preços menores no sistema take away. Imagem: reprodução | Flores em Notting Hill
  • Vá ao Borough Market, mas não aos sábados.  O lugar é delicioso, uma atração é imperdível, porém fica completamente impossível de ser visitado aos sábados, quando todo mundo resolve passear por lá. Deixe para visita-lo durante a semana, num dia mais tranquilo e menos concorrido (o funcionamento é de quarta à sábado).

#Londres para Comprar

 

  • Se estiver a fim de comprar, escolha bem o local e evite lojas como a Harrods (prefira a Liberty!) e ruas como a Oxford Street aos fins de semana, que ficam entupidas de gente. E se a sua passagem pela cidade for nos meses de janeiro/fevereiro ou junho/julho, você encontrará a maioria das lojas em saldos, o que pode ser um ótimo negócio se estiver disposto a se juntar a uma multidão endoidecida de gente querendo comprar muito e pagar pouco.
liberty
Liberty brilhando muito. Imagem: reprodução | Liberty London
  • Aposte em brechós e feiras de rua. Pra quem gosta de roupas, vale visitar os diversos brechós super legais e descolados na região de Brick Lane e Camden (os londrinos moderninhos amam!).
  • Economize nas lembrancinhas. Para o caso de levar souvenirs, vale visitar as feiras locais e garimpar itens diferentes, produzidos na Grã-Bretanha. Ta afim de levar chás, biscoitos e afins? Uma dica preciosa são as lojas de £1 – o equivalente ao nosso R$1.99 – localizadas em diversos locais da cidade. São como mini-mercados que vendem de tudo, desde itens de decoração até chocolates. E tudo por £1! Procure pelas lojas Poundland ou Pound World e economize.
poundland
Lojas de £1, as amigas dos mochileiros econômicos. Imagem: reprodução | Poundland
Nathalie Bonome

Nathalie Bonome

DreamHost

Acompanhe o Planeta Cativante

Acompanhe o Planeta Cativante pelas redes sociais.